segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Confissão da putinha do gu

Meu namorado Gustavo é o homem que muitas mulheres sonham em ter, moreno claro, 26 anos, 1.85 de alt, charmoso, gostoso, 80 kg, pernas grossas e um tesão na cama, mas, além disso, a melhor parte dele foi aprender a gostar e aceitar ser corno manso, ele aprendeu a me incentivar e até ajudar outros homens a me comerem. Eu sou Priscila, sou uma mulher bonita, me cuido, malho, tenho 23 anos, morena clara, 1.74 de alt, pernas proporcionais, uma bundinha média bem torneada com uma marquinha linda, bucetinha pequena sempre com poucos pêlos, peitinhos durinhos e médios, cabelos lisos até os ombros e olhos negros, cuido bem da minha pele e ela vive macia, adoro sexo e sempre soube que não nasci para fuder com um homem só, me transformo quando estou com tesão e tenho muitas fantasias.
Eu e Gustavo nos conhecemos no final de 2001, começamos a namorar e eu me apaixonei por ele, mas ele sempre me amou mais do que eu o amei, Gustavo começou a me sufocar quando se sentia inseguro, e eu comecei a tratá-lo com indiferença, estar com ele era bom demais, mais ele não me fazia falta, Gustavo me cercava e eu saia com amigas e avisava quando já estava na rua, enfim, ele vivia inseguro e com isso em meados de fevereiro deste ano eu pedi um tempo, disse que não agüentava mais e que precisava viver, ele não se conformava e eu comecei a sair sozinha, comecei a ficar com outros homens, não cheguei a ir para a cama com nenhum, mas a cada homem que eu ficava Gustavo enlouquecia mais ainda, ele corria cada vez mais atrás de mim, até que um dia em Junho deste ano, Gustavo me chamou para mais uma conversa e dessa vez vi o quanto ele não estava bem, Gustavo disse que faria qualquer coisa no mundo para me ter outra vez, foi aí que ele disse que para ficar comigo aceitaria até a hipótese de eu sentir tesão por outro homem e transar com outros homens, ele quase chorando dizia que faria qualquer coisa por mim, que se eu quisesse poderia ir para a cama com quem eu sentisse vontade, mas que voltasse a namorar ele, eu fiquei assustada, excitada, com pena do Gustavo naquela situação e resolvi dar uma chance, no início nem pensei muito nessa liberdade proposta por ele, mas quando as semanas começaram a passar eu vi que realmente eu não conseguiria ficar apenas com ele, eu precisava de mais, eu necessitava realizar minhas fantasias e assim me sentir mais feliz, e quem sabe o próprio Gustavo também não poderia aprender a gostar e sentir prazer, então eu resolvi trair.
No final de agosto eu resolvi começar a tratar friamente meu namorado, comecei a não ligar para dizer onde eu estava, não ligar para dizer aonde eu ia depois do trabalho ou depois da faculdade, ele começou a ficar louco, até que no meio daquela semana eu resolvi que iria trepar com outro homem, mas que fosse um desconhecido, eu estava na fila do Banco quando fui abordada por um homem de seus 30 anos, forte e sedutor, se chamava Bruno e começou a puxar conversa, rapidamente estávamos íntimos e continuamos a conversar até a saída do banco, lá fora ele me olhou e disse que não esperava que fosse a última vez que iria me ver, eu falei que não e toda oferecida disse que ele poderia me encontrar depois das 14 horas que eu não trabalhava a tarde, pedi o telefone dele e disse que ligaria, ele sorriu e disse que a gente iria almoçar juntos, na hora marcada liguei para Bruno, antes eu avisei ao Gustavo que iria para a minha casa, assim ele iria ligar e não me encontraria e ficaria louco para saber o que tinha acontecido, Bruno passou na hora marcada e sem muitos rodeios sugeriu logo um motel para almoçar e relaxar, não disse que sim e nem que não, apenas disse para ele me levar onde achasse melhor, chegando lá não deu tempo para respirar, Bruno me agarrou como se estiver louco por uma buceta a meses, ele arrancou minha roupa, chupou minha buceta, me comeu de quatro, ele praticamente me estuprou, gozei como uma vagabunda, nossa como foi gostoso ser comida por um cara que havia conhecido a poucas horas atrás e me tratou como uma puta. Ao chegar em casa, pedi para Bruno me deixar alguns quarteirões antes, assim ele não iria saber onde moro, Gustavo me esperava puto na frente da minha casa, entrei no carro dele para conversar, eu expliquei a ele que a gente não estava mais dando certo e ele logo ficou me perguntando se eu estava com outro homem, até que coloquei meu plano em prática, disse que sim e que se ele não lembrava eu iria lembrá-lo que ele me disse que aceitaria o fato de eu estar com outro homem quando eu tivesse vontade e que foi isso que aconteceu, Gustavo não chorou, sei que ficou com raiva mas sei que ficou excitado, pediu detalhes e só me pediu para não expor ele ao ridículo, falei para ele se acalmar que a pessoa com que eu estava no motel nem sabia da existência dele e mal sabia da minha que foi só uma transa e nada mais, ele baixou a cabeça meio que humilhado, mas para eu levantar astral do meu namoradinho agora corno manso, eu resolvi lhe presentear com uma bela chupada no pau, ele gemia e gozou na minha boca, depois do ocorrido continuamos a namorar como se nada tivesse acontecido, Gustavo tinha medo de me perder e começou a fazer tudo que eu tinha vontade para nem correr esse risco. Agora que já contei como meu namorado começou a se tornar um corninho bem mansinho e obediente eu vou lhes contar com detalhes quando fomos passar cinco dias em Recife.
Acordei o dia estava lindo, falei logo com Gustavo para ele se arrumar que a gente iria para a praia, chegando lá o sol estava quente demais, havia pouca gente, escolhemos uma praia isolada, notei a alguns metros da gente um grupo de homens, todos muito bonitos conversando em uma roda, eu estava muito excitada e vesti a menor peça de biquíni que eu tinha, desse grupo de amigos dois se destacavam pela altura e pela beleza, não pude deixar de notar o volume nas suas sungas também, Gustavo percebeu que eu olhava muito e logo perguntou o que era, eu apenas respondi que estava admirando os dois apontando eles para Gustavo, ele nada falou e para minha grata sorte um deles saiu do grupo e veio em nossa direção encostando-se na barraca ao lado pedindo uma água mineral, vi que ele me olhou de uma maneira que quase me deixou nua, então eu me levantei e me aproximei dele também pedindo uma água mineral, Gustavo lia o jornal e me olhava com o canto dos olhos, o cara sem cerimônia se apresentou dizendo que era de Goiânia, o nome dele era Paulo, apresentei Gustavo como meu namorado e o convidei para sentar com a gente, conversamos bastante, Gustavo até gostou do Paulo, nisso o calor aumenta e Gustavo me convida para tomar um banho de mar, eu recusei e ele foi só me deixando sozinha com Paulo.
Paulo ficou por alguns segundos apenas me olhando, como que esperando um sinal verde, que eu não demorei a dar. Delicadamente sorri e coloquei minha mão sobre a dele, acariciando-a. Ele olhou para Gustavo no mar e voltando-se para mim questionou se eu não me preocupava que Gustavo pudesse ver o que eu estava fazendo. Respondi que com certeza me preocupava, por isso mesmo fazia, expliquei-lhe que meu namorado e eu nos damos muito bem e que ele concordará com qualquer atitude que eu tome com relação a ele ou a outro homem qualquer, desde que eu queira um homem, meu namorado fará tudo para que eu possa tê-lo. Nesse instante Paulo se aproximou mais de mim. Fez isso e perguntou, com toda malicia no olhar, se por acaso eu o estava querendo. Respondi que ele não tivesse dúvidas quanto a isso, que ele havia me atraído e que meu namorado já sabia disso. Disse que ele era o tipo de homem que já chama a atenção somente pelo tamanho e que faz a mulher querer saber se sua virilidade e gostosura são proporcionais a seu tamanho. Ele respondeu que eu poderia comprovar no momento que quisesse, pois, ele já havia reparado, que minha buceta estava realmente ansiosa por cacete. Disse também que satisfaria todos os meus desejos, aproveitei então para dizer-lhe que gostaria ainda de conhecer aquele seu amigo que estava na roda com ele e os outros caras. Paulo chamou seu amigo e apresentou-nos na mesma hora. Jaime era seu nome. Enquanto ele encaminhava até nós, eu o observava detalhadamente. Já me imaginava sendo penetrada por tudo aquilo, Jaime sentou-se conosco e rapidamente percebeu o clima que rolava. Expliquei a Jaime que havia convidado Paulo para logo mais tomar alguma coisa em nosso hotel e que gostaria que ele fosse também, disse ainda, que meu namorado ficaria contente com a presença deles. Nisso Gustavo já estava voltando do mar, ao aproximar-se me abraçou pela cintura com carinho e me beijou de leve no rosto, dizendo baixinho em meu ouvido que me adora. Sorri para ele com paixão e lhe apresentei Jaime dizendo que os havia convidado para irem nos visitar mais tarde. Gustavo foi bastante simpático e reafirmou que ficaria contente com a presença deles em nosso Hotel. Acho que Gustavo estava realmente assumindo seu papel naquele dia, ele iria pela primeira vez me ver transando com outros homens.
Jaime e Paulo estavam bem a vontade, Gustavo sentou ao meu lado, porém eu de propósito fiquei mais próxima do Paulo do que do meu namorado, observei melhor a sunga dos dois homens que iriam me comer, eles tinham um volume maior do que eu pensava, Gustavo ofereceu um drink para ambos, conversamos amenidades e logo descobri um pouco sobre os dois, estavam solteiros e eram apenas conhecidos, estavam de passagem e de férias, assim como nós, então eu me levantei dizendo que estava precisando me refrescar, convidei Gustavo para ir ao mar, ele respondeu que tinha terminado de sair d’água, logo sugeri a Paulo que me acompanhasse, eu segurei nas mãos dele sem me importar com a presença do Gustavo, e meu tesão falou mais alto, fiquei imaginando aquelas duas picas entrando na minha bucetinha, e fui levando Paulo em direção ao mar rebolando minha bunda na frente dele, enquanto eu caminhava minhas mãos levavam a dele a se esfregar na polpa da minha bunda, e ele se aproveitava passando a mão em mim, entrei na água e por baixo d´agua Paulo não perdeu tempo e começou a acariciar minhas coxas, mas não passamos disso, pois Paulo preocupado interrompeu e foi logo direto me indagando, ele me falou: – legal esse jeito liberal entre você e seu namorado, ele me perguntou se não rolava ciúmes. Eu logo respondi que não, que meu namorado adorava satisfazer os meus desejos, que a gente sabia separar sentimentos de sexo, conversamos mais um pouco e sugeri a Paulo que assim que a gente retornasse da água a gente fosse para o nosso hotel almoçar e beber mais um pouco, ele concordou e me falou que não via a hora de ficar mais a vontade, pois a praia estava muito quente e aquele sal o incomodava. Então retornamos do mar, e dessa vez voltei de mãos dadas com Paulo, eu queria fazer com que o Gustavo se acostumasse com aquela situação que já era irreversível, e quando cheguei dei um beijo na boca do Gustavo comentando que a água estava um delicia, logo pedimos a conta e contamos nossos planos para Jaime que aceitou o convite. Seguimos rumo ao hotel, logo subimos ao nosso quarto e pedimos vinho e nossos amigos Wisky, eles sentaram no sofá de nossa suíte e eu fiquei no meio em pé, Gustavo se aproximou e me beijou na boca passando a mão na minha bundinha segurando a minha cintura, eu fiquei de costas para os nossos amigos com a bunda arrebitada para os dois, a situação estava ficando incontrolável, aí resolvi tomar uma atitude, tirei as mãos do Gustavo de minha cintura, o levei para o banheiro pedindo licença para os nossos amigos, no banheiro perguntei: Amor vou fuder com os dois, resolve agora, você quer ficar olhando ou prefere ir embora? Para minha surpresa Gustavo mesmo contrariado respondeu que sim, eu completei dizendo que mesmo que ele dissesse não eu mesma iria me oferecer para eles, então tomar a iniciativa, mandei Gustavo sentar em uma cadeira na frente deles, ele foi e eu cheguei depois e sentei no colo do meu namorado com as pernas abertas numa posição em que minha buceta ficava toda exposta para os meus dois futuros comedores, a minha excitação era visível e eu pedi para Paulo ficar de pé com a desculpa de que tinha alguma coisa na sua sunga, ele ficou em pé na minha frente com a sunga na direção do meu rosto, eu levei minhas mãos para as coxas dele, fiquei alisando as coxas e desamarrei o laço da sunga de Paulo e tirei abaixando-a até tirar completamente, de imediato o pau dele ficou na direção da minha boca, era muito grande, era uma pica que devia medir uns 20 cm, bem maior que a do Gustavo, mas eu não fiz nada ele me olhava com cara de tesão e depois mandei o Jaime ficar em pé, fiz a mesma coisa e a do Jaime também devia medir 20 cm, a cabeça do pau dos dois era bem vermelha, eram duas picas grossas, Gustavo nem se mexia mas eu sentia o pau dele duro na minha bundinha, ele me abraçava, aí quando um deles encostou o pau na minha boca eu parei e querendo testar Gustavo mandei: Amor, traz o pau deles na sua mão para a minha boca. Eu mesma segurei na mão do meu namorado e fiz ele pegar no pau do Paulo, nessa hora notei que Gustavo estava puto, ele falou no meu ouvido: Chega amor…eu disse que se ele quisesse poderia ir embora e talvez para sempre, ele respondeu: então se é para entrar na sacanagem então vai ter sacanagem, Gustavo nesse momento segurou com mais força no pau do Paulo e ele sorriu falando: Vai pega, pode pegar, eu incentivando falei com um tom mais autoritário: Pega logo no pau deles, vai amor que eu quero fuder. De imediato Gustavo segurou na pica do Paulo com a mão direita e na pica do Jaime com a mão esquerda, ele encostou o pau do Paulo na minha boca e comecei a lamber toda a extensão do pau dele, depois foi a vez do Jaime, eu comecei a chupar as duas picas ao mesmo tempo sentada no colo do meu namorado e ele bem de pertinho vendo eu engolir a pica dos dois, eles gemiam e me chamavam de putinha e ainda olhavam para Gustavo com um ar de superioridade, eles riam e Jaime mandou Gustavo ficar olhando bem de perto, Paulo aproveitou a deixa e falou: – E aí corno, tá gostando de ver sua namorada chupando meu pau? tá? Gustavo só balançou a cabeça, aí eu me levantei e eles foram me levando para a cama e eu mandei Gustavo aproximar a cadeira da cama e ficar olhando bem de perto, eles me carregaram para a cama e ficaram passando as mãos em todo o meu corpo, rasgaram meu biquíni, fiquei nua e de pernas abertas na cama enquanto eles passavam as mãos em mim, comecei a provocar meu namorado: Vem cá meu corninho, você pode perceber como minha buceta está toda melada? Olha bem, presta atenção. Digo isso para Gustavo e em seguida já peço ao Jaime:”querido enfie seus dedos em minha bucetinha, vai ela está louca de vontade, enfia, meche gostoso lá dentro”. Ele faz isso com toda perfeição, me levando quase a gozar em sua mão. Quando então digo:”tira e mostra pro meu corninho”. Ele não faz isso de imediato, primeiro me bolina mais um pouco, me fazendo vibrar de tesão. Depois se vira para Gustavo e diz: “Está gostando, vê só como satisfaço tua namoradinha putinha?” Ele diz isso enquanto passa a mão bem perto do rosto do meu namorado para que ele possa sentir o cheiro da minha buceta na mão dele. Gustavo apenas balança a cabeça com afirmação, não olha para ele, mas para mim.
Enquanto isso Paulo continuou explorando meu corpo, não somente com as mãos mas, também com a boca, nos instantes que Jaime enfiava seus dedos em minha buceta, Paulo percorria meus seios com sua boca deliciosa, sugando e às vezes mordiscando-os de leve. Por enquanto, eu apenas aproveitava tudo passivamente e questionava se Gustavo estava gostando, ele me olhava com tesão e carinho, com uma cara de corno feliz por me ver satisfeita com aqueles machos. Ah meu corno adorado realmente é especial. Gozo gostoso, uma, duas vezes apenas com a bolinação deles e a observação de Gustavo. A seguir digo a Paulo que quero sentir sua língua quente e gostosa também em minha xana, ele desce devagar, posicionando seu rosto bem no meio de minhas pernas, arreganhando-as ainda mais. “Jaime, vem cá Tesão, quero chupar de novo esse teu pau saboroso”. Faço isso, enquanto Paulo sobe e desce com sua língua, indo de minha buceta ao meu cuzinho com toda avidez. Olho para Gustavo e digo: “Amor , ele faz isso de um jeito tão gostoso, olha bem meu corninho como ele é bom”. Falo e volto a sugar aquela pica maravilhosa que já se colocou rígida a minha frente, sugo com vontade enquanto, minhas mãos percorrem o saco de Jaime. Ele vira-se para Gustavo e diz “Cara ela é uma putinha deliciosa, quero fudê-la mais e mais”. Nesse momento vi que Gustavo sentiu um misto de vergonha e ciúme, mas muito maior era meu desejo de trepar com eles.
Chupo até que ele goze em minha boca e eu beba cada gota daquele leite. Agora digo a Paulo que estou quase gozando de novo e que quero sentir a pica dele dentro de meu cuzinho, digo isso a ele, olho para Gustavo, que me entende e sem que eu fale nada vem me beijar na boca aproveitando ainda do gosto da porra de Jaime e me ajudando a virar, me colocando de quatro, ficando com a bundinha bem empinada para que Paulo possa enfiar sua pica todinha dentro de meu cuzinho. Mais uma vez Paulo vem com força e enfia primeiro a cabeça, eu gemi de dor e rebolei na pica dele, contraindo o meu buraquinho para fora facilitando a entrada daquela pica grossa no meu cuzinho, senti Paulo bater bem fundo no meu cuzinho, aquele entra e sai com vontade me faz gozar. Paulo também goza gostoso fazendo jorrar toda sua porra. Jaime se aproxima abre de novo as minhas pernas, olha para minha buceta toda molhada, passa os dedos de leve, me assanhando ainda mais, exatamente para me provocar ele demora um pouco nessa bolinação, quando percebe que não estou mais agüentando, que estou quase implorando, ele soca sua pica em minha buceta, chego a gritar de prazer, digo a ele que enfie tudo, que empurre com força e vontade, que mostre a meu corno que sabe como satisfazer uma fêmea tarada e gostosa. Ele obedece e me faz delirar e explodir, gozando varias vezes.
Depois da gente relaxar um pouco eu foi tomar um banho na banheira com Paulo e Jaime e deixei Gustavo para trás, por um momento pensei em como meu namorado estava suportando tamanha humilhação, mas ao mesmo tempo sentia um tesão incontrolável, na banheira eles passavam a mão em mim, nas minhas coxas, na minha buceta, nos meus peitinhos, senti também a mão do Jaime encostando-se à minha e levando minha mão para o seu pau, fiquei brincando com o pau dele e me levantei rebolando a minha bundinha e convidando os meus machos a me comerem outra vez. Jaime e Paulo se levantaram na minha direção, Gustavo estava deitado na cama, eu me deitei e fiquei logo de pernas abertas, Jaime se colocou ao meu lado, eu estava sentada na cama de pernas abertas com a buceta bem exposta, Jaime começou a brincar na minha buceta, começou a expor meu grelinho, ele ficou massageando meu clitóris e abrindo minha buceta, eu esticou as pernas para o alto e deixei minha bucetinha a disposição dos dois e meu cuzinho também estava aparecendo, Paulo puxou Gustavo deixando-o bem pertinho da minha buceta, ele mandou Gustavo observar eles passando a mão em mim, usando e abusando do meu corpo, Jaime colocou os dedos dele na minha buceta, Paulo passou gel no meu cuzinho e meu namorado estava ali bem pertinho olhando tudo, então eles ficaram assim por muito tempo, um enfiava o dedo no meu cuzinho, outro enfiava na minha buceta e eu apenas gemia, eles se revezavam, e quando eu já não agüentava mais comecei a pedir: – Me come, me fode, me bate, podem fazer o que quiserem comigo… eu me afastei um pouco e Jaime deitou na cama com o pau duríssimo, Paulo pegou num dos braços do Gustavo mandando ele se levantar, ele disse que Jaime iria comer meu cuzinho e que eu iria sentar na pica dele, Paulo pediu ajuda do Gustavo e ele me segurou por um braço enquanto Paulo me segurava pelo outro, eles me carregaram colocando-me com as pernas abertas sobre Jaime, um de cada lado, eu disse: Isso meu corninho, ajuda o Jaime a comer a bundinha da sua namorada ajuda…Então eles foram me colocando e encaixando o pau dele no meu buraquinho, eu mandei eles me colocarem devagar, pois não podia sentar de uma só vez naquela pica, eles me colocaram de costas com bundinha na cara do Jaime, assim ele podia ver melhor a pica dele entrando no meu cuzinho, eles foram me descendo bem devagar e a pica do Jaime foi deslizando no meu cuzinho, eu gritei quando entrou tudo, a pica dele não entrou tão fácil assim, parecia que estava me rasgando ao meio e eu comecei a lagrimar, eu não sabia se de dor ou prazer, por um momento Gustavo achou que eu estava querendo parar e segurando no meu braço pediu para Jaime parar….fiquei puta e falei: – Quem disse que é para parar seu corno, eu estou gostando, estou adorando essa pica toda enfianda na minha bunda, fica quieto seu corninho…Gustavo baixou a cabeça e continuou assistindo a cena, a pica do Jaime entrando e saindo do meu cuzinho…
Ao mesmo tempo o Paulo que não queria ficar fora começou a lamber minha bucetinha que estava toda molhada, eu pedia para Gustavo segurar na minha cintura para me ajudar a cavalgar no Jaime, toda aquela provocação e humilhação me dava mais tesão, Jaime gozou muito, ele tirou o pau de dentro de mim e ainda deu tempo dele tirar a camisinha e dar uma esporrada nas minhas costas e na minha bundinha e ainda por cima espirrou um pouco de porra na direção do rosto do Gustavo, ele passou as mãos no rosto e eu aproveitei para dar um beijo na boca do meu corninho para amenizar o sofrimento dele cochichei no seu ouvido dizendo que o amava, foi quando sem perder tempo o Paulo se aproximou colocando as minhas pernas sobre seus ombros e enfiou o pau dele sem pena na minha buceta e como um animal acelerou os movimentos com força, eu gemia e gritava pedindo pica, Jaime por sua vez mandava Gustavo olhar chamando-o de corno, dizendo que ele tinha uma namorada putinha que iria me comer sempre na frente dele. Paulo acelerou mais os movimentos e eu gozei gritando e gemendo com o pau dele enterrado na minha buceta, ele tirou o pau para fora, tirou a camisinha e ficou punhetando seu próprio cacete gozando na minha barriga, nas minhas pernas e na minha buceta, minha bucetinha ficou toda esporrada da porra dele, e eu tombei exausta de pernas abertas toda melada, Gustavo me olhou e eu mandei meu namorado me limpar, Jaime e Paulo abriram um pouco as minhas pernas, deixando minha buceta toda aberta, Gustavo aproximou seu rosto no meio das minhas coxas, enfiei a língua sentindo o gosto da minha buceta misturado ao gosto da porra do Paulo, ele enfiava a língua e lambia tudo para me deixar bem limpa, fazia tempo que ele não chupava a minha buceta daquele jeito, eu segurava a cabeça dele e esfregava minha buceta na cara do meu corninho.
Depois de me chupar bastante Gustavo ainda enfiou seu pau na minha bucetinha para gozar pela primeira vez naquele dia, ele sentiu que minha buceta estava alargada de tanto dar para aqueles dois, mas de qualquer forma ele gozou sozinho. Depois ficamos na cama os quatro e cada um foi tomar banho, eu e Gustavo fomos juntos e no Box ele me perguntava se eu tinha gostado, eu beijava a sua boca e dizia que o amava, pedimos comida para os nossos amigos, nos vestimos, todos de sunga e eu nua, quando o almoço chegou, eu mesma fui servir nossos amigos e eles aproveitavam para passar a mão no meu corpo, eu ainda sentei nua no colo deles, depois almoçamos e fomos deitar os quatro na cama, eu abraçada com Gustavo e os dois conversando, Paulo e Jaime sentiram que era hora de ir embora e que agora eu seria todinha do meu amor Gustavo. Eles se retiraram e eu vivo assim, feliz com um namorado corninho que amo.

8 comentários:

  1. Moro em sorocaba, sou educado, cheiroso, culto, excelente nível, com corpo musculoso pele clara cabelos pretos lisos olhos castahos claros, rosto bonito, com local discreto e seguros em sorocaba mas posso viajar durante a semana

    Adoro beijos demorados longas preliminares demoradas penetrações para vc sentir prazer e gozar comigo.
    Procuro mulher fogosa ou casal liberal cujo marido sinta prazer vendo a esposa com outro macho, para encontros sigilosos e quem sabe frequentes, com sigilo, segurança e higiene, visando somente a intensos momentos de prazer sexualMoro em sorocaba, sou educado, cheiroso, culto, excelente nível, com corpo musculoso pele clara cabelos pretos lisos olhos castahos claros, rosto bonito, com local discreto e seguros em sorocaba mas posso viajar durante a semana.

    Meu e mail é claudiosorocaba@bol.com.br

    ResponderExcluir
  2. Desejo conhecer casais liberais ( Heteros iniciantes ou não, adultos, discretos,decididos sem problemas de relacionamento e de preferência realmente casados ou estavéis, que vejam o menage masculino como um desejo comum entre ambos, como tambem mulheres no mesmo perfil que desejem uma aventura onde a amizade e cumplicidade seja preponderante. Sou um homem (solteiro, simples nos habitos, discreto, maduro na personalidade e adulto no caratér, bastante liberal na sexualidade, mas nunca vulgar nas atitutes,gosto de voyerismo e brincadeiras junto com os (a) parceiros, Não curto Drogas,não Fumo, bebidas alcoolicas sem excesso, sou de sp mooca . Desejo fazer amizade e se encontrar casal para relacionamento fixo, com controle de encontros totalmente feito pelo casal. Amizade, Cumplicidade e bom relacionamento e o que busco
    tenho 48 anos ,branco. alto . dote grande e bem grosso , simpatico e muito higienico tel WHATSAPP VIVO 011 997737906 skpe PARCEIROAMIGO.SP OU CEL CLARO 011 969258971 TONI

    ResponderExcluir
  3. Desejo conhecer casais liberais ( Heteros iniciantes ou não, adultos, discretos,decididos sem problemas de relacionamento e de preferência realmente casados ou estavéis, que vejam o menage masculino como um desejo comum entre ambos, como tambem mulheres no mesmo perfil que desejem uma aventura onde a amizade e cumplicidade seja preponderante. Sou um homem (solteiro, simples nos habitos, discreto, maduro na personalidade e adulto no caratér, bastante liberal na sexualidade, mas nunca vulgar nas atitutes,gosto de voyerismo e brincadeiras junto com os (a) parceiros, Não curto Drogas,não Fumo, bebidas alcoolicas sem excesso, sou de sp mooca . Desejo fazer amizade e se encontrar casal para relacionamento fixo, com controle de encontros totalmente feito pelo casal. Amizade, Cumplicidade e bom relacionamento e o que busco
    tenho 48 anos ,branco. alto . dote grande e bem grosso , simpatico e muito higienico tel WHATSAPP VIVO 011 997737906 skpe PARCEIROAMIGO.SP OU CEL CLARO 011 969258971 TONI

    ResponderExcluir
  4. PROCURO CASAL ONDE O MARIDO SEJA CORNO OU VOYEUR , POIS ADORO NAMORAR A ESPOSA NA FRENTE DO MARIDO , E COMER ELA NA CAMA DO CASAL , NA SALA , DENTRO DO CARRO ENQUANTO ELE DIRIGE , NO CINEMA , NO BARZINHO E MUITOS LUGARES GOSTOSOS , ADORO SAIR COM UMA ESPOSA ELA VESTIDINHA CURTOS , FIO DENTAL BEM PEQUENO , SALTO ALTO , SHORTINHOS APERTADINHO ,CALÇA LEGUE ,ADORO VER A TANGUINHA TODINHA ENFIADINHA E VER O VOLUME DA BUCETA TB , SOU EXPERIENTE COM CASAIS JA TIVE TRES FIXO , SOU MUITO CARINHOSO ,EDUCADO RESPEITO MUITO OS LIMITES DO CASAL , SOU SIGILOSO , DISCRETO E HIGIENICO . FAZER ESTE CLIMA DA MUITO TESAO PRINCIPALMENTE QUANDO O CORNO GRAVA E BATE UMA PUNHETA VENDO ELA SENDO POSSUIDA TODINHA , MUITO TESAO . DAREI TOTAL DESCRIÇOES TENHO DISPONIBILIDADES PARA SAIR OU VIAJAR , SOU BRANCO ,48 ANOS BOA APARENCIA , 1,87 ALT TENHO UM DOTE GRANDE E BEM GROSSO , PARA SATISFAZER ELA TODINHA NA SUA FRENTE , MEU WHATSAPP 011969258971 ANTONIO CARLOS , SKPE PARCEIROAMIGO.SP EMAIL AMIGOINTIMOSAFADO@GMAIL.COM TENHO FOTOS NO WWW.SEXLOG.COM.BR/HDISCRETOSIGILOSO (SOU CONTRA EM INTERESSES FINACEIROS , E DROGAS )

    ResponderExcluir
  5. Adorei esse conto maravilhoso só de imaginar fico de pau duro sou do rio de janeiro se tiver casais daqui querendo um amigo,como espesa e corninho também sem preconceito
    Meu imail Alex.Souza29anos @gmail.com

    ResponderExcluir
  6. Nesse carnaval 2016 vou tá em caraguatatuba com um primo somos comedor eu experiente com casal se algum casal tiver em caraguatatuba entre em contato tenho 37 anos 20 cm de pau meu whtsapp 11959804506

    ResponderExcluir